Dalva 10 Anos (Vinho do Porto)

Há poucos dias apresentaram-me este vinho do Porto, o Dalva 10 Anos. Para ser muito sincero não é muito normal beber vinho do Porto, mas posso dizer que este ficou-me na memória.

Vinho de cor castanho claro, aroma que logo á primeira cheiradela sente-se a madeira. Na boa sente-se a duçura, o caramelo, frutos secos tipo passas, figos secos ou mesmo amendôas muito torradas. É um vinho que enche a boca, que o sabor fica bem agarrado na língua. Acaba por ser uma boa escolha, tendo em conta o preço (14€), uma opção mais barata para os momentos especiais. Posso dizer que este vinho, que é produzido pela C. Da Silva, empresa de vinhos do Porto, fundada 1862, ajudou-me a olhar para os Portos com outros olhos…

Termeão Tinto 2006 (Campolargo)

Ontem tive o prazer de beber este tinto das beiras, produzido na Bairrada pelo grande Manuel Santos Campolargo, Touriga Nacional, Castelão Nacional e Cabernet Sauvignon são as castas utilizadas neste vinho que acompanhei com um delicioso Arroz de Marisco feito pelos meus amigos B. e D..Fui ontem almoçar á casa destes meus amigos e pensei que tinha de levar um tinto diferente e assim levei o Termeão pássaro branco (Tinto). Ao principio pensei que fosse ficar desiludido, dado que não sou muito apreciador de vinhos de graduação alcoólica mais baixa (12 graus), pedi ao meu amigo para o decantar, ele até achou estranho, um tinto de 2006 para decantar??? Verdade seja, valeu a pena, incrivel, mas o vinho estava cheio de depósito, cor muito carregada, mas com uma frescura invejável (coisa que não estava à espera), muito floral, notas de couro também, com um final persistente, sabor que perdura na boca por algum tempo, fiquei muito surpreso, não esperava que fosse tão bom esteve vinho, e como o meu amigo exagerou um pouco no picante, ainda melhor!Ficou a nota, um vinho vale a pena repetir!

Quinta do Portal 2009 Branco

Foi a acompanhar uma bela salada de Grão com Bacalhau que provei este branco da Quinta do Portal, uma casa familiar que se dedica em produzir vinhos DOC Douro, vinhos do Porto e Moscatéis, com todo a dedicação e glamour possível.

Temos aqui um branco com muito carácter. de cor amarelo citrino, como podem ver na imagem acima. Quinta do Portal Branco 2009 foi feito apartir das Castas Gouveio, Malvasia Fina e Viosinho, a meu ver um vinho muito aromático, onde facilmente se nota a fruta madura, um vinho muito guloso e fácil de gostar, é um vinho jovem e muito bem estruturado, onde deixa na boca notas de citrinos

Este vinho espelha um pouco o que são os brancos do Douro, vinhos bem feitos, que deixam transparecer vivacidade, frescura e aromas intensos. O vinho que não pode passar ao lado!

Para aquecer nas noites frias de Janeiro…

CREME DE ERVILHAS COM GENGIBRE

Há melhor que uma boa sopa quente ou um bom vinho tinto para aquecer o corpo e alma numa noite fria???Eu não conheço!!!

Este creme é muito fácil de fazer, muito saboroso e o gengibre dá, sem dúvida, um toque “refrescante”, experimente, podem mesmo não acreditar, mas fui eu que fiz!!!

ingredientes:

300 g de ervilhas
1 cenoura
1 cebola pequena
Azeite q.b.
Sal q.b.
1 Batatas 

Gengibre Ralado

Preparação:

1. Começe por picar a cebola e refogá-la no azeite.

2. Lave, descasque e corte, aos cubos, as batatas e a cenoura. Junte ao refogado.

3. Cubra com água e tempere com sal.

4. Adicione as ervilhas e deixe cozer tudo

5. Triture a sopa com a varinha mágica.

6. Sirva no prato e coloque no centro uma colher de café de Gengibre ralado.

Marquês dos Vales Grace Vineyard 2007

Olá caros amigos, quero desde já pedir desculpa por ter levado tanto tempo sem escrever, bem amigos sabem, isto de beber e comer também é preciso inspiração!Eu andei um pouco em baixo de forma, mas enfim, cá estou, mais uma vez, para contar as minhas aventuras e desventuras no mundo dos vinhos.

Foi na passada segunda- feira  que tive a oportunidade de provar pela primeira vez este tinto algarvio, sinceramente “farto-me” de falar bem do trabalho desenvolvido nestes últimos anos no Algarve na área Vinícola, mas ainda faltava provar um vinho que realmente pudesse mostrar isso na prática. O meu primo levou esta bela garrafa para o petisco, e digo que me surpreendeu,cor tinta, muito carregado de cor, madeira bem assente (um pouco até demais), aroma forte, a frutos vermelhos. Gostei muito de ver um vinho Algarvio com os taninos redondos e acidez equilibrada, muito bom no seu completo, para mim, até à data o grande “Embaixador” dos tintos Algarvios, “escorregou” bastante bem com uns belos Secretos de Porco Preto e umas azeitonas britadas que a minha avó preparou à poucos dias, foi sem dúvida um dia bem passado na companhia deste ” Tinto Magano”!!!

P.S. Aconselho a toda as pessoas a visitarem a Quinta dos Vales- Estombar- Algarve, um sitio lindíssimo, com pessoas muitos simpáticas prontas a recebe-lo/a!!!

Adega do Arcanjo

Herdade Grande 2006

Ora cá estamos mais uma vez para falarmos de vinhos, comida e paródia. No domingo passado convidei para vir à minha casa um grande amigo meu, o B.M. e a sua esposa e filho. Salada de Atum com feijão- frade, gamba da costa e para prato principal um delicioso frango à brás.

Decidi escolher um vinho que não me envergonhasse ao pé de tais pessoas, escolhi um vinho de uma Herdade de visitei à tempos, a Herdade Grande, propriedade agrícola a cerca de 5km da Vidigueira/Alentejo,com área global de 350 hectares, dos quais 60 com vinha, 40 de olival , 80 de cultura arvense e o restante destinado ao pastoreio de ovinos de carne.
Em conjunto, com propriedade confinantes, forma uma zona de caça turística com área de 750 hectares.
No que se refere a construções, para além de outras, destaco o Salão de Vinho e Caça, Adega, Armazém e Câmaras para Estágio de vinho em barricas. Pessoas muito humildes e simpáticas receberam-me de braços abertos e mostraram-me como se faz vinho na Herdade Grande, que começou por vender uva a granel à Herdade do Esporão, e só há poucos anos atrás é que começou a produzir os seus próprios vinhos, dado à alta qualidade das suas uvas!

Abri um Herdade Grande Tinto 2006, Aragonês, Trincadeira e Cabernet Sauvignon, 14%, bem ao meu estilo, encorpado, taninos presentes, mas não exagerados, cor límpida, com um aroma a frutos vermelhos maduros e um travo a madeira, mas não em demasia, eu não gosto de vinhos com muita madeira, aliás DETESTOOOOO!!! Este é um vinho que vai bem com qualquer coisa, vaca, borrego,frango ou porco, o que quiserem, sabor rico em fruta e equilibrado, graças a este vinho não fiz má figura frente aos meus amigos de infância, era muito mau eu estar sempre a falar de vinhos e depois dar a provar murraça!!!Até breve!Provem Herdade Grande Tinto 2006 que vale o esforço, abraço!

Dipointangel (João Arcanjo)

Herdade da Calada

Vejam este vídeo, fala sobre a Herdade da Calada, do sitio da Igrejinha, Évora, estão a produzir muito bom vinho, tenham especial atenção ao Bloco nº 3!

Abraço

Adega do Arcanjo

Domingo em casa…garrafas vazias…

GLORIA REYNOLDS BRANCO 2007

Foi no passado domingo que tive a oportunidade de provar o Gloria Reynolds branco 2007, garrafa gentilmente oferecida pelo o ilustre sr. Filipe Miranda, Director de Vendas da mesma casa.

Convidei a almoçar em minha casa os meus pais e meus sogros, um almoço em família, num belo domingo de verão. Passei a manhã na cozinha a preparar os pitéus, saladinha de atum com feijão- frade, camarão da costa, o famoso franguinho á Lucas (agora parece que não sei cozinhar mais nada), uma deliciosa carne de porco caseirinha, lombinho de porco preto, este criado lá na quinta dos meus avós e uns camarões da costa para ajudar á festa! Decidi em boa hora abrir este branco, um branco gastronómico, muito mineral, que nos enche completamente a boca ao bebê-lo. Um aroma intenso deixa-nos maravilhados, até o meu sogro disse que mais parecia um tinto! Fresco e com um fim de boa persistente, muito persistente,longo, este é um dos brancos com mais estrutura que já bebi em toda a minha vida, acentuado em madeira nova, mas não em excesso, muito equilibrado, aconselho vivamente!


DONA MARIA

Antes de pensar em beber o Gloria Reynolds branco 2007, eu já tinha aberto uma garrafa de Dona Maria, do Júlio de Bastos. Este vinho é produzido no Alentejo, mais precisamente em Estremoz, terra solarenga. As castas Aragonez, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet e Syrah compõem este vinho guloso de aspecto límpido e cor violácea viva. Este “morreu” acompanhado da bela carne de porco preto frito em azeite, adorei este tinto de aroma complexo de frutos vermelhos, um palato rico em tostados, tinto cheio, com boa estrutura, sugerindo compostas de ameixa e tomate.

Temos aqui um bom tinto para beber com os amigos na companhia de uns bons petiscos, agora é verão e pessoal quer é curtir e beber uns vinhos de qualidade!

Monte da Cal

MONTE DA CAL

Ontem à hora do almoço tive a oportunidade de provar este guloso tinto. Um pouco fechado de inicio, mas 1 hora depois, hum… aromas a fruta vermelha madura, baunilha, vinho cheio,  de taninos equilibrados, gostei muito de provar este alentejano da zona de Fronteira, vinho sem estágio em madeira, de maneira a conservar todos os aromas a fruta, com a acidez perfeito. Pode-se dizer que é um tinto bem feito! Para acompanhar este tinto fiz um delicioso Frango á Lucas, “especialidade” da casa, não se pode inventar receitas muito elaboradas quando se tem a cargo um filho “traquinas” de 8 meses!

Deixo-vos com a minha receita, até breve!

Aqui está o famoso FRANGO Á LUCAS!!!

INGREDIENTES:

- PEITO DE FRANGO;
- CEBOLA PICADA;
- ALHO PICADO;
- MOSTARDA;
- VINHO BRANCO;
- TOMATE FRESCO;
- FLOR DE SAL;
- OVOS;
- LIMÃO;
- OREGÃOS.

MODO DE PREPARAÇÃO:

- Tempere os bifes de frango com flor de sal, vinho branco e sumo de dois limões, deixar a marinar durante duas horas.
Colocar na frigideira, duas cebolas picadas, quatro alhos, três tomates em bocados e refogar. Passados 5 minutos colocar os peitos de frango e a marinada, deixe apurar e de seguida coloque 1 colher de sopa de mostarda de dijon, deixe ao lume até os peitos de frango ficarem brancos.
Ligue o forno a 200 graus, ponha o composto que está na frigideira numa forma de ir ao forno, disponha no topo 4 ovos inteiros e oregãos, deixe no forno até alourar os bifes,

bom apetite!!!

Esporão Reserva Branco 2010

Depois de mais um Jantar Vínico, mais precisamente o quinto, onde servimos os vinhos da afamada Herdade da Mingorra, dei por mim em casa sem nada para fazer, de “papo para o ar”!

Quando acordo vejo que tenho uma mensagem no meu telemóvel, “Queres vir cá jantar?O Nick comprou camarões tigre para grelhar!”. Ora que boa nova para mim, estava á espera da altura ideal para abrir uma garrafinha de branco, Esporão Reserva Branco 2010, fresquinha, fresquinha, fresquinha!

Foi o casamento perfeito, desapareceu num instante, em noite de calor, acompanhado pelos belos camarões grelhados( nem cabiam no prato), com um belo molho de manteiga e alho.

Notas do vinho:

Elaborado com as castas Roupeiro, Arinto e Antão Vaz, com vinificação e estágio durante seis meses em barricas novas de carvalho francês e americano. Cor amarelo- palha, muito aromático, intenso e frutado. Pensei que a casta Arinto tivesse atribuído a este branco mais aroma a frutos tropicais, fica aqui este ponto negativo, mas penso que este vinho ainda poderá evoluir em garrafa, a madeira não está em excesso. Tem estrutura e a acidez perfeita, recomendo!